sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

José Sócrates defende na sua moção casamento homossexual - Será Verdade?

“ A moção de José Sócrates que vai ser apresentada em Fevereiro, no congresso do Partido Socialista, já está concluída. Os principais destaques do documento vão para uma maior atenção com as desigualdades socias, os problemas da classe média e a definição do casamento homossexual como um direito. … “ (via TSF, Os Tempos que Correm)

3 comentários:

Zunkruft disse...

É simples. Para José Sócrates, a questão da inconstitucionalidade da actual lei e do direito ao casamento por pessoas do mesmo sexo, não é um direito constitucional, mas sim, uma mera questão de agenda política para o seu partido (e para o seu ego algo maníaco, diga-se de passagem), com a qual ele pode brincar e a qual ele pode manipular sempre que lhe apetece.

Propaganda para a campanha das eleições que se avizinham. Na altura, em Setembro/Outubro era-lhe prejudicial à sua imagem e à do PS. Agora sim, mediatizar a tal moção vai - supostamente - ajudar a interceder com a comunidade LGBT em Portugal quando for altura de votar.

Mas que não conte comigo. Votar num homem que, apesar de (pela primeira vez!) ter um projecto político, andou quatro anos a viver manobras de diversão de cariz autista e de actuar perante a população como se um salesman de tecnologia de ponta ou como se de um tele-evangelista americano se tratasse. Não foi há quatro anos que votei nesta bicha armariada e não será este ano que vou fazê-lo.

Jotta disse...

Acreditar, nessa matéria (e em muitas outras...), nesse Senhor, no que nos diz respeito é um puro gesto de «quanto mais me bates mais eu gosto de ti»!!!
Nada de «memória curta minh@ gente!

Daniel disse...

O PS está a entrar na forma mais populista que lhe conheço. E como disse alguém um dia "ninguém goza mais com o povo do que o populista"

Eu por mim sou de esquerda. Nada tenho contra os casamentos homossexuais - sou a favor deles. Mas não é isso que me vai fazer votar no PS, nem no BE, nem numa suposta coligação PS/BE que no fundo são as duas faces da mesma moeda. Como já vi aqui dito, não é o casamento homossexual que define a esquerda, mas todo um conjunto de políticas governativas que é preciso implementar. Nesse aspecto, apenas o PCP se tem mantido com a firmeza/seriedade necessária, não se deixando envolver por modas ou jogos de opinião.